(Page 14)

  • Aumento da maior parte das taxas moderadoras na saúde

    A partir de 1 de Fevereiro, se precisar de ir a um hospital do Serviço Nacional de Saúde (SNS), prepare-se para pagar mais. O Ministério da Saúde actualizou a tabela das taxas moderadoras. As subidas nos actos mais comuns são, regra geral, de cinco, dez ou vinte cêntimos. Contudo, embora refira a inflação como factor de actualização, o Ministério da Saúde acabou por subir alguns dos preços acima da taxa de inflação. Numa portaria hoje publicada em “Diário da República” e datada do passado dia 8, o Ministério indica que as taxas em vigor “encontram-se desactualizadas, quer quanto ao valor, quer quanto à tipologia dos actos, pelo que se torna necessário proceder à sua revisão”.

     
  • Escolher a modalidade do Seguro Saúde

    Existem cada vez mais seguros de saúde, que se apresentam como uma alternativa ao Serviço Nacional de Saúde. No entanto, o elevado número de exclusões, os períodos de carência, os limites de idade e a duração de contratos anuais, fazem com que nem todos sejam a opção acertada ou torne difícil a escolha da melhor opção. Assim na escolha de um seguro de saúde é preciso ter em atenção algumas situações: Seguro de reembolso Para poder escolher os hospitais, clínicas e médicos onde é assistido, deverá optar por um seguro de reembolso. Esta modalidade é válida para quem mora longe das grandes cidades, onde o número dos prestadores de serviços associados à rede de cuidados da seguradora é mais limitado. Neste caso o consumidor pagar todas as despesas do seu bolso, mas se apresentar as despesas à companhia, poderá reaver cerca de 80 a 90% desse valor. As desvantagens associadas a esta modalidade são o facto de poder ser difícil para a maior parte dos consumidores adiantar o valor das despesas no caso de o montante ser elevado. São por ex os casos das despesas de parto ou cirurgias com internamento. Seguro de assistência No caso de morar num grande […]

     
  • O que garante um seguro de saúde?

    O seguro de doença garante os acidentes e doenças tratados em Portugal ou normalmente também no estrangeiro se se verificarem durante uma viagem não superior a 60 dias ou então com tratamento prescrito pelo médico assistente da pessoa segura, consentida previamente pelos serviços clínicos da seguradora conforme coberturas expressamente previstas nas condições do contrato, com os limites nelas fixados (franquias e montantes). Se a pessoa segura receber qualquer comparticipação de algum sistema de segurança social, as garantias reportar-se-ão apenas aos montantes não comparticipados. As garantias podem funcionar através do reembolso de despesas realizadas com cuidados de saúde, de pagamento directo aos prestadores dos serviços de saúde ou da combinação das duas modalidades mencionadas nos pontos anteriores.

     
  • Seguros de Saúde – para que servem?

    Adquirindo um Seguro de Saúde pode ajuda-lo a complementar os serviços do Serviço Nacional de Saúde. Desta forma pode aceder de forma rápida e fácil aos médicos, hospitais, clínicas e centros de exames de várias redes privadas de cuidados de saúde em Portugal. Existem ainda várias vantagens de que pode usufruir, nomeadamente: 1. Acesso a redes privadas de cuidados de saúde, composta por médicos, hospitais, clínicas e centros de diagnóstico privados, qualificados e com a mais avançada tecnologia. 2. Tempos mínimos de espera na marcação de consultas e internamentos. 3. Serviço de apoio a clientes disponíveis normalmente 24h por dia, onde pode obter informações sobre o seguro, apoio na selecção de médicos e clínicas e ainda obtendo conselhos úteis em caso de emergência. 4. Outros serviços complementares como descontos e apoio domiciliário. A utilização de um seguro de saúde não está limitada aos cuidados dentro da rede privada do seguro que adquiriu. Se for dentro da rede, normalmente basta identificar-se com o seu cartão e o pagamento é feito por prestação directa, ficando apenas uma pequena parte da despesa, a franquia, para ser paga pelo utilizador. No caso de aceder a serviços e médicos que não façam parte da rede […]